segunda-feira, 5 de setembro de 2011

1. carta



Boa noite, o suposto seria nunca mais te falar sem ser para uma simples vingança, o suposto seria também obviamente rasgar esta paixão, mas hoje escrevo-te segundo o pedido do jogo e assim sendo, eu hoje nesta carta vou escrever o necessário para que percebas o que penso e sinto.
Não percebo o porquê disto, não percebo como é que és assim, não percebo como foste capaz de brincar com  alguém desta forma, não percebo e devias ter vergonha na cara por tudo o que andas a fazer, devias ter a vergonha na cara por teres brincado com o coração de alguém, devias ter vergonha na cara porque tu? Tu és um cabrão, simplesmente isso! Tenho pena que tudo isto tenho acabado de tal forma, tenho pena que tudo tenha corrido desta maneira, tenho pena essencialmente de ti, tenho uma pequena pena de mim por ter sempre acreditado em ti, tenho pena da tua nova namorada por estar a acreditar em ti tal como eu acreditei, percebo-a, porque no fundo eu não voltaria atrás em relação a ti, porque no fundo és o meu outro verso do coração, percebo-a porque eu ainda sonho contigo, ainda sinto o teu cheiro, ainda sinto a tua falta, e ainda te quero de volta, mas eu não o faria, nunca te aceitaria de volta, porque quem ama não deixa, porque quem ama não mente, e tu devias ter vergonha na cara pelo que também lhe fizeste anteriormente a ela, mas isso é convosco.
Desejo-te as maiores felicidades para o futuro, desejo-te tudo de bom na vida, espero que concretizes todos os teus sonhos, que aprendas a ser alguém na vida, que ganhes vergonha na cara, que um dia te apercebas do que andas-te a fazer.
Adeus.

10 comentários: